Agosto, tempo de intensificar as orações pelas vocações


“A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para sua colheita!”. Com a citação deste trecho do Evangelho de Mateus, o Arcebispo de Belém (PA), Dom Alberto Taveira, lembra que o Deus dá à comunidade a responsabilidade de rezar para que as vocações sejam despertadas. Por isso, neste mês vocacional, exorta todos a intensificarem suas orações.

“Aqui nasce o primeiro apelo para o mês de agosto, dedicado às vocações. Se são importantes todos os estados de vida na Igreja, desta feita nos permitimos voltar nosso olhar de modo especial à consagração específica de dedicação exclusiva à Igreja e ao Reino de Deus”, escreve o Arcebispo em recente artigo.

Instituído em 1981, na 19ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dosBispos do Brasil (CNBB), o mês vocacional é um convite à reflexão sobre as diversas vocações: sacerdotal, religiosa, matrimonial e leiga.

Em seu texto, Dom Taveira destaca que o termo ‘vocação’ se refere às escolhas particulares de cada pessoa, a fim de “dar à própria vida um sentido ideal”, donde surgem “cada estado de vida, a profissão, cada dedicação aos outros pode ser caracterizada como vocação, que lhe dá uma dignidade superior e um valor transcendente”.

Mas, o Prelado ressalta que “a palavra vocação adquire um significado específico quando se trata de uma vocação especial, que vem de Deus diretamente, como um raio fulgurante de luz que ilumina o mais profundo da consciência humana e se expressa numa entrega total da vida ao amor de Deus, que depois se desdobra no amor e no serviço ao próximo”.

Diante disso, observa que há uma necessidade de que a Igreja envie pessoas que se coloquem de maneira livre e voluntária à disposição para evangelizar os demais. “Com que alegria meu olhar se dirige a tantos jovens, rapazes e moças, que têm acolhido o chamado de Deus a esta radicalidade de vida!”.

E, questionando onde estão as vocações, Dom Taveira exorta os sacerdotes a convidarem a comunidade para o seguimento de Cristo. Também incentiva os pais a conversarem com seus filhos sobre esse tema. E, especificamente às crianças, adolescentes e jovens, lança um apelo a ouvirem a voz de Deus. “Pode ser que o ambiente da sociedade não lhe favoreça responder positivamente, mas muito maior do que todos os ventos que correm é a voz de Deus que lhe diz ser este o seu lugar, na dedicação total a ele e ao seu Reino, no coração da Igreja”.

Durante todo o mês de agosto, cada domingo é dedicado a uma vocação específica. O primeiro, ao ministério ordenador, em razão do Dia do Padre, celebrado juntamente com seu padroeiro, São João Maria Vianey, em 4 de agosto; no segundo domingo, quando se comemora o Dia dos Pais, a Igreja se volta para a vocação matrimonial; no terceiro, a vocação à vida consagrada, junto com a Solenidade da Assunção de Nossa Senhora; no quarto, a vocação laical; e, no caso de haver quinto domingo, celebra-se o Dia do Catequista.

Tendo em vista este primeiro domingo, 2, dedicado aos ministérios ordenados, e o próximo dia 4, memória litúrgica de São João Maria Vianey (o Cura D’Ars), o Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, publicou um artigo por meio do qual cumprimenta todo o clero, unindo-se “às orações por todos os sacerdotes em sua bela missão de santificar o povo de Deus, anunciando o Evangelho e celebrando os mistérios da fé”.

“Como todos os cristãos, os presbíteros estão chamados à salvação (cf. Mt 5,48). Pelo sacramento da Ordem, os presbíteros são configurados com Cristo sacerdote, como ministros da cabeça, para a construção e edificação do seu corpo, que é a Igreja, enquanto cooperadores da Ordem episcopal. Este é o fundamento da vida peculiar dos presbíteros: atuar tal como são, ‘fazendo todo o sacerdote, a seu modo, às vezes da própria pessoa de Cristo’ (Presbyterorum Ordinis, 12) de quem é instrumento”, explica no texto.

Ao fim, Dom Orani constata a todo o clero que “só Cristo basta para nossas vidas!”.

Para rezar pelas vocações, segue a oração vocacional:

“Senhor da messe e pastor do rebanho, faz ressoar em nossos ouvidos teu forte e suave convite: 'Vem e segue-me'! Derrama sobre nós o teu Espírito, que Ele nos dê sabedoria para ver o caminho e generosidade para seguir tua voz. Senhor, que a messe não se perca por falta de operários. Desperta nossas comunidades para a missão. Ensina nossa vida a ser serviço. Fortalece os que querem dedicar-se ao Reino, na vida consagrada e religiosa. Senhor, que o rebanho não pereça por falta de pastores. Sustenta a fidelidade de nossos bispos, padres e ministros. Dá perseverança a nossos seminaristas. Desperta o coração de nossos jovens para o ministério pastoral em tua Igreja. Senhor da messe e pastor do rebanho, chama-nos para o serviço de teu povo. Maria, Mãe da Igreja, modelo dos servidores do Evangelho, ajuda-nos a responder SIM. Amém".

Compartilhe no Google Plus

About Marcio Bourbon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário