Não é fácil ser Mãe!


Neste mundo que se agita num mar de violências e de guerras, não podemos deixar de nos lembrar de tua pessoa, exatamente porque ainda és, a maior reserva de amor que Deus quis neste mundo. Tu, ó mãe, tens entre os homens o primado do coração.
Nem os arranha-céus mais altos, nem os computadores mais possantes, nem os aviões mais velozes, podem ser comparados à beleza transcendente do teu olhar e o sentimento incomparável do teu coração.
Mãe, foste criada não só para dar a vida aos homens, muito mais do que isto, para semear o amor entre eles, e dar ao mundo um rosto humano.
O mundo precisa aprender contigo mãe, antes que seja tarde, a lição do perdão sem limites, da compaixão que faz sofrer solidária, da bondade que supera toda inveja, da paciência que vence toda inquietação, do amor que vence todo ódio, e que é mais forte do que a morte.
Somos gratos a Deus que te criou e te deu de presente a cada um de nós. A tua beleza é grande porque em ti é grande a intensidade do espírito que penetra a matéria.
Sobretudo mãe, queremos reconhecer e agradecer pela gratuidade das tuas boas obras. Sois como a raiz da árvore, sempre escondida, mas sempre promovendo o crescimento dos ramos e dos frutos.
Disse alguém que “o prazer da abelha é sugar o mel da flor, mas o prazer da flor é entregar o mel à abelha”. Sei que assim és mãe!
Olhando para ti aprendemos a dar graças a Deus todos os dias.
E, se por acaso, alguém não reconhecer o teu valor, ou não retribuir com gratidão ao teu amor que nunca acaba, saiba que o Criador te vê. Mãe, mais do antes, precisamos muito de ti!
Ser pai é um mais fácil. É claro que pai é importante. Pai é tudo de bom. Pai brinca, conversa, carrega, embala, dá banho, provê necessidades físicas e mentais, participa ativamente, defende a gente. Pai é bom, é gostoso, transmite segurança.
Mas mãe é diferente. Mãe está acima do bem e do mal. Mãe tem uma autoridade espiritual sobre seu bebê, mãe renuncia, mãe pede todo dia pra Deus interceder pelos seus filhos. Consagra ele todo dia a Nossa Senhora e aos Anjos. Às vezes não tem tempo nem de tomar banho direito, de fazer as unhas e arrumar os cabelos. Mãe vive para o filho. Ela em último lugar.
Pai não carrega nove meses dentro de si um ser humano em gestação. Não passa mal, não vê sua pressão cair, não tem sua bexiga comprimida.
O pai não tem seu corpo invadido por um bisturi, não faz cesárea, não faz parto normal, não sangra muitos dias depois do parto. Mãe, depois que o filho sai de seu ventre, passa para a sua cabeça; e dali não sai nunca mais.
Pai não tem que amamentar o filhinho, às vezes com dores nos seios. Pai não sofre com o corpo modificado no espelho, e pode devolver para mãe o bebê quando perde o fôlego de chorar. Pai tem uma retaguarda que se chama mãe.
Mãe não tem um interesse maior que não seja pelo bem estar do seu filho. Mãe sabe a data de cada vacina, mãe sofre com a febre, mãe se despedaça em mil com o choro. Mãe acaricia o bebê, faz piruetas para ganhar uma risadinha.
Mãe enfrenta um exército…. de salto alto e de peito aberto! Se todo o mais faltar, a mãe estará junto ao seu filho.
É tão bom ter mãe que Jesus deu a Sua Mãe para ser nossa mãe espiritual, guia para Deus. Ricardo de São Vítor disse: “O nome de Maria cura os males do pecador com mais eficácia que os unguentos mais procurados. Não há doença, por desastrosa que seja, que não ceda imediatamente à voz desse bendito nome”.
Alguém disse que o nome de Maria desarma o coração de Deus. Não há pecador, por mais criminoso que seja, que o pronuncie em vão. O nome de Maria abre o coração de Deus e põe todos os tesouros d’Ele à disposição da alma que o invoca. São Bernardo a chamou de “onipotência suplicante”.
É tão bom ter Mãe que até o Filho de Deus, o Verbo divino que nada precisa, quis ter uma Mãe. Ela o acompanhou da manjedoura até a Cruz. Foi o seu consolo, a sua ajuda humana mais importante. Ela é o Modelo de todas as outras mães: humilde, prestativa, disponível, paciente, desapegada de tudo, pura, bela, santa, imaculada, bondosa, meiga, compassiva, corajosa… silenciosa. Amar é sofrer, amar é dar-se; amar é dizer Não a si mesmo para dizer Sim ao outro. Amar é ser mãe!
Alguém disse um dia que “ser mãe é sofrer no Paraíso”. Nada faz sofrer tanto quanto as dores do filho; mas nada a alegra tanto quanto o seu sorriso. Não há figura mais doce e bela que a mãe; gestora e educadora da vida. Se é belo e nobre construir casas, carros, computadores… o que há de mais nobre que gerar e construir um ser humano, imagem de Deus?
Parabéns a todas as mães: as que geraram seus filhos no ventre, ou no coração. Obrigado pelo teu ventre que nos acolheu, e não nos rejeitou, e gerou em nós a vida. Obrigado pelas noites sem dormir; pelas lágrimas derramadas, pelas lutas de cada dia; pelo pão de cada dia, pela cama sempre arrumada, a mesa sempre pronta, o lar sempre aquecido com seu calor. És, de fato, o sol da família, tens o primado do coração.
Feliz dia das mães!
Compartilhe no Google Plus

About Marcio Bourbon

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários:

Postar um comentário